sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Casta Diva

Dedico este post para a minha amiga Fernanda Fávero que me deu uma ajuda na tradução, Fê obrigado pela força!



Na semana passada tive a grande oportunidade de ver ao vivo a Ópera Norma a qual considero uma das mais bonitas. Isso porque, logo no primeiro ato, é apresentada a canção Casta Diva que considero a ária mais linda de todas.


Fazia já algum tempo que não ia à ópera, desde Sansão e Dalila em dezembro 2008, e digo que foi um retorno triunfal.


Norma foi escrita por Vincenzo Bellini e teve a sua estréia no Scala de Milão em dezembro de 1831.


Vincenzo Bellini


A ação se passa na Gália ocupada pelos romanos, por volta do ano 50 a.C. e narra a história da sacerdotisa Norma.


A ópera se inicia com os druidas indo ao encontro dela para pedir permissão a fim de iniciar a rebelião contra os romanos. Norma pede que esperem para começar a batalha pois ela mantém um caso secreto com o romano Pollione tendo dois filhos em segredo dessa união.


Pollione se apaixona pela jovem sacerdotisa Adalgisa e essa revela à Norma o seu amor por ele. Furiosa, Norma revela a verdade sobre sua relação com o romano.


Norma, movida pela vingança, ordena o início da rebelião contra os romanos. Pollione é capturado e se prepara para ser morto pelo chefe dos Druidas. Norma intervém dizendo que ela mesma o fará, quando fica a sós com Pollione. Norma promete libertá-lo, desde que ele prometa partir sem Adalgisa. Pollione recusa a oferta.


Arrependida, ela confessa ao povo sua traição à pátria revelando o seu amor por Pollione e acaba condenada à fogueira. Pollione observa o heroísmo de Norma concluindo que não soube amá-la nem compreendê-la e decide acompanhá-la ao sacrifício unindo-a na morte.


A ópera finaliza com a morte de Norma e Pollione.




Engraçado observar como desde sempre o ser humano é incerto em seus sentimentos e age sempre por impulso. Os triângulos amorosos permeiam os relacionamentos. O amor é sempre fonte de intrigas e vingança.


Considero essa ópera uma obra romântica, pois foi escrita em pleno século 19, no auge do movimento romântico. Além disso, ela possui todos os elementos desse movimento: ode à natureza, patriotismo, amor não realizado e a morte como toque final à história.


Para finalizar o post, seguem abaixo a belíssima canção Casta Diva interpretada por Maria Callas e logo, em seguida, a letra e a tradução.




CASTA DIVA - Norma


Casta Diva,
Casta Diva, che inargenti
Queste sacre, queste sacre antiche piante
A noi volgi il bel sembiante,
A noi volgi,
A noi volgi il bel sembiante,
Il bel sembiante


Chorus

Casta Diva
Senza nube e senza vel!


Tempra o Diva,
Tempra tu de' cori ardenti!
Tempra ancor lo zelo audace!
Spargi in terra quella pace,
Che regnar tu fai nel Ciel.


Tradução


Casta Deusa,

Casta Deusa, que prateias

Estes sagrados, estes antigos ramos sagrados

A nós voltas o belo semblante,

A nós voltas,

A nós voltas o belo semblante,

O belo semblante


Coro

Casta Deusa

Sem nuvem e sem véu!


Acalma o Deusa,

Acalma tu dos corações ardentes!

Acalma também o zelo audaz!

Espalha sobre a terra aquela paz,

Que reinado tu fazes no Céu!


Vincenzo Bellini